quinta-feira, 15 de abril de 2010

#MotosEletricas: No Japão só em Dezembro



Moto: Um veículo usado tanto para trabalho, quanto por diversão

Fonte: National Geographic

A montadora de motocicletas Honda anunciou nesta terça (13) que começa a produzir em dezembro scooters com motor elétrico que não polui e é mais silencioso. O novo modelo, o EV-neo, será produzido no Japão e custará entre US$ 6 mil e US$ 8 mil. (Porque esse preço? Ñ acham caro?)

São necessárias quatro horas para carregar totalmente a bateria de lítio-ion da EV-neo em uma tomada normal. Com um carregador especial, é possível atingir 80% da carga completa em 20 minutos. A scooter tem a potência equivalente de uma moto de 50 cilindradas e faz 30 quilômetros com uma carga completa. (Pouca velocidade, porém 100% de autonomia e 100% elétrico e não poluente)

O anúncio oficial da Honda acontece apenas um dia após sua concorrente Yamaha anunciar que também pretende entrar no mercado de motos elétricas. Para isso, a empresa vai vender ações para arrecadar cerca de US$ 812 bilhões e desenvolver um produto de baixo custo. O dinheiro servirá também para para novas tecnologias nos motores das motos e barcos da empresa. A Yamaha não divulgou os valores de seus modelos de scooters elétricas.

O mercado de motos elétricas é muito forte na China, onde foram produzidas 22 milhões de motocicletas movidas a bateria. Elas custam entre US$ 250 e US$ 450 e já estão sendo exportadas para outros mercados desenvolvidos. (Duzentos e cinquenta dólares??? Sim. Interessante, ñ?)

Olha, eu confio na tecnologia chinesa, mesmo porque não é por ser um produto chinês que vai dar problema, agora, e o Brasil?

Onde nem os Carros Elétricos foram implantados? É... Só daqui a CINCO anos, lá em 2015!

E pra piorar, o Brasil pretende explorar muito esse lado do biocombustível. Pode ser um combustível mais limpo, porém poluente.

É um grande avanço pro Japão, porém muito mais para a China, que já explora a tecnologia das motos elétricas! Parabéns à Ásia!

Flw e T+!

Nenhum comentário:

Postar um comentário